Voo direto x Voo com escala

Voo direto x Voo com escala

15 de outubro de 2018 0 Por metacidadania

Salve!

Este é o primeiro texto em que abordamos um assunto pratico específico envolvido com a história de nossa vinda para a Itália e com o processo de cidadania italiana. Nestes casos, vamos relatar as nossas experiências e pontuar o que foi bom ou não PARA NÓS. Vamos evitar dizer o que é certo ou errado, pois isso depende de várias coisas. Portanto, cabe a você ler, analisar e escolher o que é melhor PARA VOCÊ.

Sendo assim, agora vou contar sobre a compra de minha passagem aérea. Como era a minha primeira viagem internacional, estava bastante confuso com isso. Não sabia se comprava em algum site, se confiava nos aplicativos de promoções e pior, não sabia o que era barato ou caro. Com isso, minha primeira ação foi procurar uma agência de viagens para ter um orçamento.

O valor, porém, me assustou e era maior do que os preços que estava pesquisando online. Conversando com amigos, eles me indicaram diversos aplicativos e sites. Eu tenho dois em meu celular: Melhores Destinos e Passagens Imperdíveis. Confesso que não posso afirmar se são bons ou não, afinal acabei não comprando a passagem por eles, mas cheguei a me interessar muito por uma. Só não fechei pois minha irmã me alertou que aquela promoção só me dava o direito de despachar uma mala. Aliás, esse é um detalhe importante. Fique atento!

Poucos dias depois dessa investida frustrada, minha irmã (sempre ela!) encontrou uma boa promoção e compramos a passagem. Ela tinha um porém: eu faria uma escala de 12 horas no aeroporto de Paris, na França. Apesar do receio, estava animado para a experiência. Neste momento, porém, soube pelo MINHA SAGA um ponto essencial para o meu processo de cidadania: se fizesse essa escala, teria que ir atrás de outro documento chegando à Itália. Veja aqui mais sobre isso.

Mesmo diante dessa importante questão, a passagem já estava comprada e eu estava disposto a encarar isso. Foi então que tudo mudou com a vinda do meu pai ao Brasil. Ele teria algumas pendências para resolver em sua empresa e me propôs o seguinte: ir para a Itália no mesmo avião que ele voltaria para a Europa. Fiquei relutante, pois teria que cancelar a minha passagem e, com certeza, o valor da outra seria maior, uma vez que ele fechou sua viagem com uma agência de viagens.

Depois de muita conversa, ele me convenceu que seria melhor optar pelo voo direto, por conta daquele documento a mais que eu teria que ir atrás. Sendo assim, a minha passagem foi comprada com a agência Torres Turismo de Piracicaba. Ida e volta. Duas bagagens de 23kg para despachar. Com pouso no aeroporto de Malpensa, em Milão. Confesso que, passada a experiência, acredito que isso foi bom, pois era a minha primeira viagem para fora do Brasil. Não falava nenhum outro idioma e meu inglês não era tão bom assim. Tive essa certeza depois de descer do avião e ir em direção ao setor da imigração, mas essa experiência vou contar em outros posts! Pense num frio na barriga!

Escrito por

Olá! Meu nome é Eduardo Castellari e sou jornalista de formação no Brasil. Hoje também vivo na cidade de Como, região da Lombardia, norte da Itália. A busca pela cidadania italiana mudou a minha vida e tenho certeza que também vai transformar a sua! Benvenuto i cominciamo questo meraviglioso viaggio!